Transmissão no Instagram será realizada nesta quarta-feira, às 18h, e contará com a participação de especialistas do Instituto

 

Como parte da campanha Março Azul Marinho, de conscientização sobre o câncer colorretal, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada ao Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, realizará uma live em seu perfil no Instagram @institutodocancersp, na quarta-feira (9), às 18h, para discutir sobre o tema.

Os especialistas do Icesp, Prof. Dr. Ulysses Ribeiro Junior, Coordenador Médico da Oncologia Cirúrgica, a Dra. Adriana Vaz Safatle-Ribeiro, Médica Assistente do Serviço de Endoscopia, e o Dr. Carlos Frederico Sparapan Marques, Médico Cirurgião do Aparelho Digestivo, abordarão informações importantes, como tratamento, sinais, sintomas e a prevenção desse tipo de câncer. O público poderá participar enviando perguntas durante a transmissão.

“O intuito da live é propagar a importância da conscientização sobre o câncer colorretal. Queremos disseminar informações importantes e atingir o maior número de pessoas possível”, comenta o Prof. Dr. Ulysses.

 

Câncer colorretal

O câncer colorretal são tumores que atingem o intestino e/ou reto. O Instituto do Câncer atende por ano, em média, 800 pacientes com este tumor, que é o segundo mais frequente em homens e mulheres no Brasil e costuma ser mais comum em pessoas acima de 50 anos. Seus sintomas incluem sangue nas fezes, dor ou desconforto abdominal, fraqueza, anemia, perda de peso sem causa aparente, alteração do hábito intestinal e na formato das fezes. 

Alguns fatores aumentam o risco para o desenvolvimento deste tipo de tumor, como a obesidade, o sedentarismo, o álcool e o tabagismo. Para a prevenção, é importante evitar estas condições e possuir uma alimentação rica em fibras, principalmente as que estão presentes em cereais, frutas e verduras, além de evitar a ingestão de gordura e carne vermelha. É importante também incluir a prática regular de atividades físicas na rotina. 

Existe também a prevenção secundária, que é o rastreamento do câncer. A maioria dos tumores surgem a partir de pólipos ou verrugas que crescem na parede do intestino. O teste de sangue oculto nas fezes consegue rastrear quando o indivíduo tem maior chance de ter um pólipo grande ou um tumor nesta região do corpo. Quando o resultado do teste é positivo, é recomendada a realização do exame de colonoscopia, que detecta os pólipos, garantindo a retirada das lesões. 

Estes exames devem ser realizados a partir do 50 anos caso não haja histórico familiar, e acima de 40 anos se existe este histórico ou se indivíduo já tenha tido diagnóstico de câncer anteriormente.  

 

 

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000