O mês de agosto é dedicado à conscientização sobre o tratamento de linfomas e o diagnóstico precoce. O câncer do sistema linfático é dividido em dois grupos: linfoma de Hodgkin (LH) e linfoma não-Hodgkin (LNH). A diferença entre eles está nas características das células malignas. 

Os principais sintomas são o surgimento de caroços ou ínguas que crescem e permanecem por muito tempo no corpo, além de suor noturno intenso, febre sem motivo e perda de peso.

A Coordenadora de Hematologia do Icesp, Profa. Dra. Juliana Pereira, comenta sobre o tratamento. “Esse câncer é tratado com quimioterapia, que dependendo do tipo de linfoma, deve ser associado à imunoterapia. A radioterapia também pode ser útil em alguns casos. Nos quadros mais graves, de recidiva ou de pacientes que não reagiram bem ao tratamento inicial pode ser necessário transplante com células tronco hematopoéticas (medula óssea).”

A coordenadora ainda complementa que a incidência do linfoma é maior em idosos do sexo masculino com idade por volta dos 64 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade. Ela ressalta também que é fundamental realizar exames de rotina, pois o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura da doença.

 

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000